Histórico

2009

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), autarquia federal competente que regula e fiscaliza o mercado de capitais brasileiro, desafiou as entidades de representação do mercado a autorregularem-se em relação a ofertas públicas de aquisição e reorganizações societárias, ao modo e semelhança do Takeover Panel Britânico. Em resposta, a B3 contratou o jurista Nelson Eizirik para estudar os modelos internacionais de autorregulação pertinentes, apresentar sugestão de modelo autorregulatório passível de implantação no Brasil e promover discussões com os representantes do mercado sobre a criação da entidade que, atualmente, é o Comitê de Aquisições e Fusões, o CAF. Esse processo exigiu três anos de coordenação de diferentes expectativas, demandas e anseios.

2012

Em 10 de julho de 2012, a CVM prestou apoio institucional público ao CAF em reunião de seu colegiado.

2013

Em maio de 2013, foi criada a Associação dos Apoiadores do Comitê de Aquisições e Fusões (ACAF), associação sem fins lucrativos, que foi criada para organizar, manter e administrar o Comitê de Aquisições e Fusões. Os membros fundadores da ACAF são AMEC, ANBIMA, BM&FBOVESPA e IBGC. A ACAF abriga:

  1. o CAF, painel de julgamento, independente e soberano em suas decisões;
  2. a Diretoria Executiva, prestadora de suporte técnico e administrativo ao painel;
  3. o Conselho de Administração da ACAF com a função de controle das hipóteses de conflito, impedimento e suspeição dos membros do CAF, se for o caso.

Em 30 de julho de 2013, o colegiado da CVM aprovou os termos do Convênio, celebrado com a Associação dos Apoiadores do Comitê de Aquisições e Fusões (ACAF), em 27 de agosto do mesmo ano, para aproveitamento da atuação autorregulatória do Comitê de Aquisições e Fusões (CAF) em relação à reorganização societária entre partes relacionadas, ou seja, a operações de incorporação, incorporação de ações, fusão e cisão com incorporação envolvendo sociedade controladora e suas controladas ou sociedades sob controle comum de compahia aderente.

2014

Em 21 de janeiro de 2014, o CAF, em colegiado, reuniu-se pela primeira vez e editou o Regimento Interno, a primeira Circular CAF e quatro Notas de Esclarecimento CAF. A Secretaria Executiva também editou o Comunicado CAF 001.

O International Corporate Governance Network (“ICGN”), em 17 de abril de 2014, como uma entidade internacional cuja missão é inspirar e promover parâmetros efetivos de governança corporativa ao redor do mundo, manifestou seu público apoio ao CAF. A carta de apoio está disponível aqui.

2015

A  Aberdeen Asset Management, a maior empresa de gestão de recursos de terceiros do Reino Unido, em 18 de maio de 2015,  manifestou seu público apoio, recomendando a adesão das empresas brasileiras ao CAF. A carta de apoio está disponível aqui.

A ABRAPP, Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar, composta por 265 associadas, também manifestou seu apoio público ao CAF, em 10 de junho de 2015, considerando que ele representa importante desenvolvimento de governança corporativa no mercado de capitais brasileiro. A carta de apoio está disponível aqui.

Um dos maiores gestores de fundos do Reino Unido, com foco na gestão de renda variável para clientes institucionais e longa tradição em mercados emergentes. Foi pioneira na implantação de escritório de pesquisa no Brasil (1994) e na gestão de recursos para clientes locais (1999), manifestou seu apoio ao CAF. Carta de Apoio aqui.

APIMEC  é  a Associação dos Analistas e Profissionais do Mercado de Capitais. Trata-se de uma das mais tradicionais entidades do mercado, com âmbito nacional e representações regionais. Alem de ser a organizadora do amplo canal de interlocução das empresas com os analistas, através de reuniões periódicas, a associação desempenha as funções de certificação e fiscalização do trabalho dos analistas, por delegação da CVM. Também manisfestou apoio ao CAF, segue aqui Carta de Apoio.

A Western Asset gere internacionalmente US$ 452 bilhões, constituindo-se em uma das maiores gestoras do mundo. Em 2005, adquiriu a área de gestão de fundos do Citibank,  tornando-se um relevante player no mercado brasileiro, particularmente junto a clientes institucionais. No ranking da Revista Investidor Institucional deste ano a Western ficou em 10º lugar na classificação por volume de recursos geridos, com uma carteira de R$ 36 bilhões. A Western manifestou apoio ao CAF por meio de Carta de Apoio, aqui.

PREVI- Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil  é o maior Fundo de Pensão do Brasil. No fechamento de 2014 a PREVI tinha R$168 bilhões de recursos administrados, atendendo 82 mil participantes. A PREVI se caracteriza pelo apoio e envolvimento em iniciativas de aperfeiçoamento da governança corporativa. Manifestou o apoio ao CAF em dezembro de 2015. Segue aqui Carta de Apoio.

2016

JGP Gestão de Recursos- Empresa independente de gestão de recursos, com cerca de R$6 bilhões de fundos sob administração, sendo aproximadamente R$ 2 bilhões desses em fundos de Renda Variável. Nesse segmento, a empresa segue abordagem fundamentalista, com visão de longo-prazo. Aqui Carta de apoio ao CAF.

Leblon Equities é uma gestora de fundos brasileira independente, com aproximadamente R$ 600 milhões sob gestão, distribuídos em Fundos de Ações Abertos e Fundos Private Equity. Manisfestou seu apoio ao CAF em março. Segue aqui Carta de Apoio.

Hermes Investment Management é uma importante empresa de gestão de recursos do Reino Unido. Sua origem é o Fundo de Pensão dos trabalhadores do setor de Comunicação. Além dessa atividade, a Hermes presta assessoria a investidores institucionais da Europa, Canada, EUA e Australia no acompanhamento da sustentabilidade de suas empresas investidas. A empresa é bastante presente em todos os fóruns internacionais de governança corporativa. Manisfestou seu apoio ao CAF em junho. Segue aqui Carta de Apoio.

SPX Investimentos é uma gestora nacional de recursos independente, com aproximadamente 12 bilhões de reais de ativos administrados, sob abordagem fundamentalista. Segue aqui Carta de Apoio.

O ECONOMUS Instituto de Seguridade Social, entidade fechada de previdência complementar, fundada em 1977, é responsável pela administração dos fundos de previdência e assistência dos funcionários do antigo Banco Nossa Caixa S/A, que em 2009 foi incorporado ao Banco do Brasil S/A. O ECONOMUS manifestou apoiou ao CAF em outubro de 2016. Segue aqui carta de apoio.

Constituída em 2003, a Jardim Botânico Investimentos (JBI) é uma gestora independente de recursos com duas áreas de atuação: fundos de ações e de private equity. Seus sócios possuem larga experiência em gestão de recursos, análise de investimentos, fusões e aquisições, regulamentação do mercado de capitais e governança corporativa. Apoiaram o CAF em novembro. Segue carta da JBI.

A Fundação de Assistência e Previdência Social do BNDES – FAPES, com a finalidade básica de administrar e executar planos de natureza previdencial, instituída em 1975 pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), é entidade fechada de previdência complementar organizada sob a forma de Fundação. O modelo de governança corporativa da Fundação de Assistência e Previdência Social do BNDES – FAPES se baseia em princípios de transparência, conformidade legal, equidade e prestação de contas. A FAPES manifestou seu apoio ao CAF, em novembro na carta que segue.

2017

PETROS  é o segundo maior fundo de pensão da América Latina, criado em julho de 1970, e atende a aproximadamente 150 mil pessoas, sendo cerca de 86 mil ativos e 64 mil aposentados e pensionistas. É uma fundação sem fins lucrativos que atua exclusivamente na área de previdência complementar e com isso, a rentabilidade dos investimentos é revertida integralmente para os planos administrados. A partir de agosto de 2016 a Presidência da PETROS foi mudada e providenciou inclusão de profissionais de mercado a fim de melhorar a governança corporativa. A PETROS apoiou o CAF em fevereiro de 2017. Aqui Carta de Apoio.

A “Fundação Vale do Rio Doce de Seguridade Social – Valia” é uma entidade fechada de previdência complementar, fundada pela Companhia Vale do Rio Doce (atualmente “Vale”), em prol de seus empregados. A Valia manifestou apoio ao CAF em junho, na carta que segue.

A CANEPA Asset foi fundada em 2012 e hoje, com parceria com Alexandre Póvoa, tornou- se uma empresa com grande conhecimento local e com um parceiro externo que  proverá conhecimento e exposição aos players internacionais cujo objetivo é desenvolver o trabalho de gestão de recursos em toda a América Latina no médio prazo. A Canepa manifestou apoio público ao CAF em junho de 2017. Segue Carta de Apoio.

A gestora independente Bahia Asset, nova marca de BBM Investimentos, vencedora do Prêmio Top Gestão por 4 anos consecutivos apoiou o CAF em julho de 2017. Segue Carta de Apoio.

A ABVCAP (Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital) é uma entidade sem fins lucrativos em atividade desde o ano 2000, que visa o desenvolvimento da atividade de investimento de longo prazo no País, nas modalidades abrangidas pelos conceitos de private equity, venture e seed capital. Manisfestou seu apoio público ao CAF em julho de 2017. Carta de apoio.

A CVC Capital Partners é uma das principais empresas de consultoria de investimento e private equity do mundo. Fundada em 1981, a CVC emprega hoje mais de 420 pessoas em toda a Europa, Ásia e EUA. O conhecimento local da equipe CVC e os amplos contatos sustentam um histórico comprovado de 35 anos de sucesso no investimento. Ofereceu carta de apoio ao CAF em agosto de 2017.

ROBECO Institutional Asset management foi fundada em Roterdã, em 1929. É um Asset Management  internacional que oferece uma ampla gama de investimentos. Sua característica principal é uma abordagem “pioneira mas cautelosa”, e coloca a pesquisa no cerne de tudo o que faz. Acreditam firmemente no investimento em sustentabilidade, técnicas quantitativas e inovação constante. ROBECO apoiou o CAF em setembro de 2017 – segue carta de apoio.

BRAiN Brasil é uma organização do setor privado que promove a criação de um polo internacional de investimentos e negócios no Brasil e uma rede de polos na região.O trabalho do instituto BRAiN é organizado em comissões e grupos de trabalho, como forma de atingir seus objetivos de transformar o Brasil num centro de investimentos e negócios para a América Latina, com conexões globais, beneficiando toda a região. BRAiN apoiou o CAF em setembro de 2017 – segue carta de apoio.

2018

A carioca Vinci Partners com R$ 21,1 bi sob sua gestão, em março de 2018, manifestou seu público apoio ao CAF em março. Segue carta.

A Carlyle Group, gestora de ativos alternativos global com US$ 201 bilhões de ativos sob sua gestão, 35 escritórios em 6 continentes, veio a público manifestar seu apoio ao CAF. Carta de apoio.

A Tagus Investimentos, gestora independente de recursos com foco em empresas e ativos brasileiros, atuando em parceria e sociedade com a Dunas Capital, uma importante gestora de fundos de investimento com research e distribuição europeia e atuação nos segmentos financeiro e imobiliário, apoiou o CAF em maio de 2018. Segue carta.

A Advent International deu início em suas atividades no Brasil em São Paulo, 1997 e desde então já investiu sobre 25 empresas no Brasil e em outros países da América Latina. O escritório de São Paulo faz parte do grupo latino-americano que conta com quatro escritórios e 40 profissionais de investimento, representando o maior time de private equity presente na região. A Advent apoiou publicamente o CAF em maio de 2018. Aqui Carta de Apoio.

Fundada em 1985, a Comgest é um grupo internacional independente de gestão de ativos com entidades em Paris, Dublin, Hong Kong, Tóquio e Cingapura. A Comgest caracteriza-se pela sua abordagem única de “crescimento de qualidade a longo prazo”, através do seu estilo irrestrito em todas as carteiras de ações. Atende a uma base diversificada de clientes de investidores de longo prazo em todo o mundo. Comgest apoiou publicamente o CAF. Segue Carta de Apoio.

Também em julho, o CAF recebeu Carta de Apoio de FIL – Fidelity Internacional. Fundada em 1969 como braço internacional da Fidelity Investments, fundada em Boston em 1946, a Fidelity International tornou-se independente da organização norte-americana em 1980 e hoje é detida principalmente pela administração e membros da família fundadora original. Responsável ​​pelo total de ativos de clientes de: US $ 430,7 * bilhões de mais de 2,2 milhões de clientes na Ásia-Pacífico, Europa, Oriente Médio e América do Sul. Segue Carta de Apoio.

A T. Rowe Price, atualmente com US$ 1.07 trilhões sob sua gestão, 21 anos de experiência e presença em 48 países, além de R$ 13 bilhões alocados em companhias listadas brasileiras,  acaba de encaminhar o apoio público e institucional ao Comitê de Aquisições e Fusões em agosto de 2018. Segue carta de apoio.

A Constellation é uma das gestoras de fundos de ações mais tradicionais do Brasil, com um dos poucos gestores com mais de 25 anos de experiência na gestão de Equities. A empresa foi fundada em 1998 e é estruturada como um partnership e seus principais acionistas são os seus executivos. Seus fundos têm AUM de R$ 3,8 bilhões, sendo 72% de investidores institucionais. A Constellation apoiou publicamente o CAF em outubro de 2018. Segue carta de apoio.

O IBEF – Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças, fundada em 1971, reúne CFOs, CEOs, VPs e Diretores das principais empresas do país. Apoiou publicamente o CAF em novembro de 2018. Clique aqui para ler a Carta de Apoio.

A FUNCEF – Fundação dos Economiários Federais – é o terceiro maior fundo de pensão do Brasil e um dos maiores da América Latina. Foi criada em 15 de julho de 1977 com o objetivo de administrar o plano de previdência complementar dos empregados da CAIXA. Hoje tem patrimônio ativo total superior a R$ 61,7 bilhões e aproximadamente 135 mil participantes. Apoiou publicamente o CAF em dezembro de 2018. Segue Carta de Apoio.

Tel.: 11 2565-4810 | e-mail: atendimento@cafbrasil.org.br | Rua XV de Novembro, 275, 6º andar - Centro - CEP: 01013-001 - São Paulo - SP
Topo